Aloe Vera: A Rainha das Plantas Medicinais

Postado por CatarinaVilela 26/03/2018 3 Comentários

Desde tempos remotos que os povos acreditavam que esta planta era poderosa em vários tratamentos. Povos antigos judaicos e muçulmanos acreditavam tanto nos poderes da planta, para todos os males, que penduravam as folhas na porta principal da casa.

O Aloe vera é uma planta suculenta, verde, com folhas carnudas e com as extremidades serrilhadas. A designação Aloe vera deriva  do hebraico halal ou do arábico alloeh (=substância brilhante e amarga) e do latim vera (=verdadeira).

 

 

O Aloe vera produz duas substâncias com aplicações medicinais: o gel e o latex. São obtidos de partes distintas da planta. O látex é extraído das células logo por baixo da epiderme da folha. O gel, por sua vez, é retirado a partir das células do mesófilo (centro) da folha.

 

É uma planta muito rica em vitaminas e minerais essenciais para o crescimento e  bom funcionamento de todos os sistemas do organismo. Contém vitaminas antioxidantes A, C e E, vitamina B12, ácido fólico e colina, minerais como cálcio, cobre, selénio, crómio, manganês, magnésio, potássio, sódio e zinco. Fornece substâncias com aplicações laxantes, analgésicas, antibacterianas e antivirais.

 

A maioria das pessoas utilizam o gel como tratamento para problemas de pele, no entanto existem vários outros benefícios na utilização desta planta como doenças intestinais, remédio natural para a asma e úlceras de estômago.

 

Crê-se que a planta Aloe vera é originária do Sudão e posteriormente foi levada para a região do Mediterrâneo, África, Ásia, Índia, Europa e América.

 

1. Referências históricas do Aloe Vera desde tempos remotos

 

No que concerne às suas virtudes cosméticas, os historiadores acreditam que o Aloe vera era o grande segredo de beleza utilizado por Cleópatra, no antigo Egito. A imperatriz fazia uso das suas propriedades para tratar a sua pele que encantava a todos. Facto, este, corroborado pela indústria atual, dada a sua utilização na concessão de inúmeros cremes, loções bronzeadoras, champôs, condicionadores, máscaras, etc.

 

 

Os chineses, há 6.000 anos, já usavam o Aloe Vera como medicamento.

Na Grécia antiga, há 2.000 anos, o médico Penadius Discorides, enunciou a utilização do Aloe vera como produto para tratamento de queimaduras, perda de cabelo, indisposição estomacal, manchas e para cuidar a pele.

 

Alexandre, o Grande, teria tido um interesse secundário para conquistar as Ilhas de Socotorá, no Oceano Índico (século IV a.C.). Nessas ilhas crescia abundantemente Aloe vera. O primordial interesse do conquistador pelas ilhas era ter plantas suficientes para curar os ferimentos dos seus soldados após as batalhas, pois já conhecia os seus poderes cicatrizantes.   A partir desta conquista o Aloe vera era utilizado pelos soldados de Alexandre, o Grande, como medicamento de primeiros socorros para curar ferimentos, facilitando a cicatrização.

 

Os marinheiros de Cristóvão Colombo foram tratados com Aloe vera e, posteriormente, foi utilizado por missionários no Novo Mundo descoberto por ele. Antigas tribos da América Central e do Sul e do México usufruíam das características do Aloe vera para tratar problemas estomacais, do cabelo, couro cabeludo e pele. As tribos dos índios Seminole, que povoavam parte dos Estados Unidos e hoje vivem na Flórida, Oklahoma e Arkansas, utilizavam a Aloe vera para cobrir as incisões cirúrgicas e ferimentos das batalhas.

 

A planta de Aloe Vera é designada na Bíblia por “árvore perfumada” e “resina perfumada”. Nicodemos usou uma mistura de Aloe vera com mirra para embalsamar Jesus.

 

Usado na medicina tradicional indiana para tratamento de vários problemas de saúde como a obstipação intestinal ou doenças de pele, o Aloe Vera é também bastante utilizado na cultura ocidental na indústria cosmética, farmacêutica e de bens alimentares. O gel de Aloe Vera foi usado pela agência Internacional de Energia Atómica dos Estados Unidos para tratar queimaduras provocadas por raio-X. Os benefícios da seiva de Aloe vera são apoiados por quase 700 estudos científicos e clínicos publicados.

 

2. Explicação científica das propriedades do Aloe Vera

 

Trato gastrointestinal:  O acemanano, um mucopolissacárido natural a tem capacidade protetora  das mucosas do estômago e do intestino.

 

Sistema imunitário: A mesma substância, o acemanano tem propriedades imunoestimulantes, permitindo proteger o organismo contra bactérias e vírus, pela estimulação da atividade dos macrófagos.  A bebida comercializada de Aloe vera pode ser ingerida em períodos específicos (outono, inverno, períodos de exames ou provas físicas) para estimular as defesas naturais do organismo.  O zinco, um dos constituintes do Aloe vera, contribui para o equilíbrio do sistema imunitário e do estado anímico.

 

 

 

 

Irritações e problemas de pele: Existem vários estudos sobre as aplicações do Aloe vera nesta área, o primeiro dos quais em 1935 constata que esta planta tem a capacidade de proporcionar um alívio rápido para queimaduras e regeneração da pele.  Mais recentemente, a eficácia do Aloe vera, em vários tipos de tratamento, foi demonstrada numa revisão de inúmeros estudos, em 2009, nomeadamente no tratamento de inflamações, herpes genital e como agente antifúngico. Há evidências que esta planta é eficaz no tratamento de dermatite, psoríase e feridas cirúrgicas.

 

Antibacteriano e antiviral:  Extratos de Aloe vera tem propriedades antibacterianas, antivirais e antifúngicas, podendo agir contra algumas estirpes de bactérias (ex.: Escherichia coli), vírus ou fungos (ex.:  Candida albicans).

 

Antioxidante, anti-inflamatório e desintoxicante: Estes poderes estão relacionados com a variedade dos constituintes do Aloe vera: 18 aminoácidos, 20 minerais,12 vitaminas, 15 enzimas, 75 nutrientes e cerca de 150 princípios ativos. Dentro dos seus constituintes realçamos os que a seguir se enumeram.  A vitamina A, encontrada no Aloe vera, contribui para uma visão e pele saudável e capacidades neurológicas adequadas. A vitamina C ajuda a prevenir rugas na pele e doenças oculares,auxilia no controlo de doenças cardiovasculares, problemas de saúde pré-natal. O Aloe vera tem, ainda, a capacidade de combater radicais livres responsáveis pelo envelhecimento celular.

 

Obstipação: O latex do Aloe vera contém antraquinonas que possuem um poder laxante através do aumento do teor de água no intestino.

 

Hidratação do cabelo e couro cabeludo: As suas propriedades antifúngicas e antibacterianas, referidas anteriormente contribuem para a regeneração dos tecidos em torno dos folículos pilosos auxiliando, deste modo nos problemas de caspa. Os minerais, as vitaminas e as suas propriedades nutritivas do Aloe vera ajudam o cabelo a manter-se forte e saudável.

 

 

Digestão:  A seiva do Aloe vera equilibra o pH do estômago facilitando a digestão. Além disso, combate a formação de fungos, permitindo a integridade do revestimento do estômago.

 

Diabetes: Evidências clínicas mostraram que o tratamento com esta planta diminui os níveis de glicose e triglicerídeos no sangue e alivia a hiperglicemia crónica.

 

3. Outras utilizações do Aloe vera

  • Antirrugas natural: o gel de Aloe vera é muito hidratante. Historiadores crêem que era o segredo de beleza utilizado por Cleópatra no antigo Egito.
  • Combate dores musculares.
  • Caspa: o gel pode ser colocado no couro couro com uma massagem antes de o lavar normalmente.
  • Protege os cabelos.
  • Queimadura solar ou outras: dado o seu efeito hidratante e refrescante.
  • Pele seca do frio: das mãos, do rosto, das pernas, braços etc.
  • Hidratante natural para o corpo (além do rosto).
  • Alívio da irritação cutânea, depois da depilação com cera ou lâminas.      

  • Atenuar manchas na pele causadas pelo sol: fazer máscaras com frequência, usando o gel de Aloe vera.
  • Cicatrização:  mais rápida e para evitar marcas de cicatrizes.
  • Picada de insetos: o alívio do prurido é imediato.
  • Dores musculares:  pelas suas propriedades anti-inflamatórias e calmantes.                             

                                               

  • Gengivas inflamadas ou outras inflamações internas na boca:  pelas suas propriedades anti-inflamatórias e calmantes.
  • Cicatrização espinhas e acnes do rosto.
  • Trata o acne.
  • Ajuda a emagrecer.
  • Alivia a obstipação
  • Dor de cabeça: adicionar ao gel de Aloe vera uma gotinhas de óleo essencial de menta e aplicar nas têmporas e na nuca, com movimentos circulares.
  • Reduz a celulite.
  • Melhora a saúde digestiva.
  • Relaxa o corpo.
  • Previne cancro de pele.
  • Baixa a febre.
  • Trata gripes e resfriados.
  • Aumenta o apetite sexual.
  • Controla o colesterol.
  • Combate pedras nos rins.

  

   Catarina Vilela (enfermeira)

3 Comentários

Helena Sousa:
11/04/2018, 11:56:26 AM
Responder

Eu tenho a planta gostava de saber como utilizar a própria planta para fazer as coisas! Por exemplo como usar no rosto, no cabelo, no corpo etc. Obrigada

Catarina Vilela:
04/05/2018, 10:44:07 AM

Cara Helena Sousa: Como resposta à sua questão, elaboramos um novo post denominado “Aloe vera: amálgamas caseiras”. Consulte-o, por favor. Muito obrigada pela sua interação! Catarina Vilela (Mipmed)

Antonio Henrique neto silva:
29/04/2018, 08:17:20 AM
Responder

Tenho algumas manchas vermelhas na minha cara chego creme farmacêuticos mas pouco resulta há algum creme ou sabonete para o problema

Catarina Vilela:
04/05/2018, 12:46:51 PM

Bom dia António Henrique Neto Silva! Os problemas relacionados com a área da dermatologia podem ter etiologias muito específicas que devem ser diagnosticadas por um profissional da área. O primeiro conselho que lhe damos é consultar um dermatologista caso ainda não o tenha feito. Há questões que se colocam: Há quanto tempo lhe apareceram essas manchas? São sazonais? Aparecem após uma situação específica ou são permanentes? Mudam de localização? Mudam de cor? Causam prurido (comichão)? Qual a sua idade? As suas manchas vermelhas na face podem ser uma manifestação de uma determinada doença. Assim, o tratamento adequado poderá não passar apenas por uso tópico de cremes, mas sim por uma terapêutica com medicamentos orais prescritos por um alergologista, endocrinologista, dermatologista, ou outro. O próprio envelhecimento natural da pele com a agravante da não utilização de protetor solar regularmente, leva à oxidação da pele com o aparecimento das indesejadas manchas. Para evitar que isso ocorra é muito importante ter o hábito diário de usar protetor solar. Todavia se já apresenta manchas na pele, o óleo de rosa mosqueta é capaz de eliminar ou atenuar consideravelmente as manchas, dado que é um forte regenerador celular devido aos ácidos e vitaminas que possui. Este óleo de rosa mosqueta está também recomendado em bebés e crianças. Abaixo são citadas algumas das possíveis causas de manchas vermelhas na pele: • Exantemas Virais: Dengue, Zika, Rubéola, Sarampo, Pitiríase Rósea e muitos outros vírus podem causar manchas vermelhas na pele, mas alguns vírus têm um padrão de manchas diferente, o que ajuda na diferenciação; • Doenças Bacterianas: Sífilis, Hanseníase, Impetigo, Foliculite, Escarlatina, etc; • Doenças por Fungos: Micoses de pele, incluindo na virilha, entre os dedos dos pés, geralmente estão associadas a micose das unhas; • Dermatites (“Alergias”): Atópica, de Contato, Urticária são alguns exemplos; • Doenças Inflamatórias: Psoríase, Dermatite Seborréica, alguns tipos de Liquen; • Doenças Autoimunes: Lúpus, Vasculites, Púrpuras, etc; • Reações cutâneas a medicação: Pustulose Exantemática Aguda, Síndrome Stevens-Johnson, Eritema Multiforme, etc. Catarina Vilela (Enfermeira/Mipmed)

Fernanda Pereira Martins:
03/07/2018, 06:54:04 PM
Responder

Gostaria de saber como se faz para obstipação. e perda de peso obrigada espero a sua resposta

Deixar um comentário